What Richard did

Avaliado com 5 estrelas pelo Irishtimes, um dos jornais mais famosos da Irlanda e anunciado pela mídia como o filme irlandês do ano, “What Richard did” estreou dia 05 de outubro em Dublin. De acordo com a sinopse oficial, o filme, que é dirigido por Lenny Abrahamson mostra a história de um jovem de alto poder aquisitivo do sul de Dublin, que resolve passar o verão no período entre o fim do colégio e o começo da faculdade, com os amigos em sua casa de praia. O mundo é claro e tudo parece possível, até que numa noite Richard faz algo que acaba com tudo e abala a vida de todos que são próximos a ele. “What Richard did” é uma análise devastadora sobre um garoto que confronta a diferença que existe entre o que ele achava que era e o que ele prova ser.

Estávamos curiosos para assistir ao filme, então lá fomos nós conferir a grande promessa do ano (se você ainda não assistiu, é melhor não ler este post). A sala estava lotada e posso afirmar que pelo menos 90% eram irlandeses. O filme começou bem, os atores são muito bons, a fotografia muito bonita e a história estava envolvente, apesar de ser simples e não ter nada de intrigante ou inovador (como disse na sinopse, são apenas amigos indo se divertir numa casa de praia).

Acho que o que mais atraiu do começo do filme até a metade foi conhecer como os irlandeses se relacionam, o que eles fazem quando estão entre amigos, sobre o que conversam, enfim, a cultura dos grupos de jovens irlandeses, no caso, de classe média alta. O legal é que pela reação das pessoas que estavam no cinema, dava para ver que elas estavam se identificando com as situações, o que quer dizer que que o filme estava representando bem a realidade.

Após o acontecimento-chave, o clima é de apreensão e reflexão, começamos a nos colocar no lugar de Richard e pensar o que faríamos se estivéssemos no lugar dele. Explora-se muito a questão da moral e cria-se um clima de suspense, de forma a nos deixar intrigados com o desfeche que será dado. Começamos a pensar em algumas possibilidades: talvez alguma outra coisa tenha acontecido depois de Richard ter ido embora da festa e ele não seja o verdadeiro culpado pelo que aconteceu, talvez ele seja mesmo o culpado mas decida se confessar, talvez ele não suporte a pressão e se mate, são muitas as possibilidades.

No entanto, nada aconteceu, nenhuma surpresa, nenhuma novidade e pelo contrário, o filme ficou muito morno, foi como um balde de água fria nas minhas expectativas, como se o diretor não soubesse como terminar o filme. Nada aconteceu ao Richard e a vida continuou, simples assim. No fim, valeu a pena a distração, mas fiquei um pouco decepcionada.

É então que num bate papo com um irlandês, semanas após ver o filme, fiquei sabendo que ele foi baseado em fatos reais (a mídia não gostar de usar este termo e nem fez menção de relação alguma com fatos reais, porque a história do filme realmente é diferente, mas quem conhece, sabe que traz os principais elementos da história verdadeira). Há 12 anos, dia 31 de agosto de 2000, aconteceu um caso de um menino chamado  Brian Murphy, que apanhou até  a morte em frente a boate Anabel, do Burlington Hotel, por um grupo de jovens de alto poder aquisitivo do sul de Dublin. Com base neste fato, o autor  Kevin Power escreveu o livro Bad Day in Blackrock, que gerou uma revolta muito grande nas famílias dos envolvidos, que consideraram muito insensível por parte do autor ter lançado o livro bem no momento em que a mídia e as pessoas estavam parando de falar sobre o caso, como declarado em matéria do Independent, outro jornal famoso da Irlanda.

No caso real, Dermot Laide, Desmond Ryan e Sean Mackeyos, os três principais envolvidos com a morte do jovem de 18 anos, tiveram que pagar pelos crimes de distúrbio de violência e homicídio culposo, sendo que o primeiro cumpriu 19 meses da sentença de 2 anos, o segundo acabou sendo liberado e não cumpriu os 9 meses de sentença que deveria e o terceiro cumpriu 18 meses de 2 anos de sentença.

Talvez o que tenha me deixado decepcionada é que o filme mostra cenas fortes de como Richard não aguentava lidar com os milhões de sentimentos por ter feito o que fez, como a família da vítima sofria por não saber quem tinha feito aquilo, como todas a relações que Richard tinha se romperam após o acontecido e no fim, ter ficado nisso mesmo. Mas pode ser que essa tenha sido a intenção do autor, vai saber. É como a frase que li em uma resenha do filme: “a ficção nos dá a segunda chance que a vida não nos dá”.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
23
out 2012
POSTED BY
POSTED IN Curiosidades
DISCUSSION 1 Comment

One Response to : What Richard did

  1. Pedro César disse:

    Olá Carla e Bruno , gosto muito do blog de vocês , e estou querendo fechar um intercâmbio para aprender inglês e estou pensando seriamente em ir para a Irlanda mas tem uma coisa que está me deixando preocupado que é o caso desses tais KNACKERS , o que realmente são eles? eles causam problemas sérios? ABRAÇOS e tudo de bom para vocês dois , o blog está muito bom . 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *