Quando o barato sai caro

primark

Muitos de vocês já devem ter lido e ouvido falar sobre a famosa Penneys, loja de roupas que existe aqui em Dublin e que possui preços pra lá de baratos. Ela é de fato a alternativa mais procurada pelos intercambistas, já que economizar é a filosofia da maioria deles.

Como gestora ambiental, logo desconfiei que, para ter um preço tão barato, alguma parte da cadeia de suprimentos da produtora, que para quem não sabe é a Primark, devia ter um custo muito barato. É claro que uma das primeiras coisas que veio à minha cabeça foram os fornecedores.

É muito comum casos de lojas que vendem por um preço súper barato e que não se importam com as condições de trabalho daqueles que estão fabricando seus produtos, pois o que lhes interessa é vender muito e lucrar, ainda que às custas da qualidade de vida de outras pessoas.

Outra coisa que sempre me deixou com o pé atrás é a qualidade das roupas da Penneys, pois pode até ser que você encontre um ou outro modelo de roupa e acessório que tenha uma certa qualidade, mas a verdade é que a maioria é descartável. Isso faz com que a roupa não dure, indo para o lixo com pouco tempo de uso. Não só o consumidor é lesado, pois tem que gastar mais dinheiro para comprar novas roupas, como o meio ambiente é prejudicado, já que energia e matéria-prima foram utilizados para produzir aquela roupa, e ela vai se tornar um resíduo rapidamente, enquanto que, se fosse de boa qualidade, além de durar mais, poderia ainda ser reutilizada por outras pessoas.

Para entender mais sobre a postura da Primark com relação a estes pontos, entrei no site da empresa em busca de alguma política de Sustentabilidade ou Responsabilidade Social Corporativa, e não é que ela tem? O mais curioso é que nesta política, eles afirmam que os fornecedores são tratados justamente, algo que se tornou  ainda mais difícil de acreditar com as notícias recentes que saíram na mídia, sobre a morte de pelo menos 96 indianos após uma fábrica da Primark desmoronar em Bangladesh.

Pelo que as notícias disseram, a Primark ocupava parte de um prédio que não foi construído inteiramente dentro da lei e que já apresentava alguns indícios de má preservação. Você pode acompanhar algumas das matérias em dois famosos jornais da Irlanda, a RTÉ e o Herald.

protest

Image: BBC News

Eu sei que é difícil resistir às compras na Penneys e que muitas vezes é a opção mais viável para seu bolso, mas tente procurar outras alternativas, como os diversos brechós que existem por aqui e outras lojas não tão baratas, mas também nem tão caras e de melhor qualidade. Seria também interessante se você pudesse dispender uma pequena parte do seu tempo enviando um e-mail para a Primark manifestando a sua preocupação com relação aos impactos sociais e ambientais causados por ela. Lembre-se de que no final, o barato pode sair caro não só pra você, mas para outras pessoas que você nem imagina que estão sendo afetadas.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
13
maio 2013
POSTED BY
POSTED IN Notícias
DISCUSSION 12 Comments
TAGS

12 Responses to : Quando o barato sai caro

  1. Neoma disse:

    Muito bem observado Carla! Muitas vezes estamos tão focados na economia financeira, que deixamos de analisar as consequências das nossas escolhas. O pior de tudo é que nem nos damos conta de quão egoísta acabamos sendo!
    Uma coisa que sempre tenho comigo é que pra termos menos resíduos, precisamos gerar menos produtos. Ou seja, de nada adianta eu comprar mil roupas “ching lings’ sendo que elas vão durar alguns meses, quando eu poderia comprar poucas que durariam anos…
    Eu sabia que tinha algo de estranho com a Penneys…rs Obrigada por compartilhar!

  2. Muita gente até hoje não sabe economizar. Acha que, só porque um produto é super barato comprando aquilo estará economizando. Os produtos a serem comprados precisam ser avaliados antes da compra; informando-se sobre a veracidade da qualidade que é jogada à cara dos compradores, tanto na internet quanto conversando com alguém que já passou por tal experiência: um exemplo disso foi que pesquisando sobre a Irlanda encontrei vários intercambistas reclamando dos produtos da Penneys. Como você mesma disse, há produtos com uma “certa qualidade” que compensam de acordo com sua necessidade, outros nem tanto. E sim, o mais barato muitas vezes acaba saindo mais caro! Curti muito a postagem!!! Sucesso à vocês, abraços!! 🙂

  3. João Montaleone disse:

    Oi, Carla.
    Bacana seu texto. O Green painting é um tema controverso mesmo. Uma empresa tem uma postura, declara sua preocupação com questões socioambientais, mas na realidade explora de maneira perversa a realidade social de certos países, subvertendo inclusive a legislação. Você deve lembrar bem das grandes marcas que tiveram seus nomes vinculados à empresas “terceirizadas” de costura, as quais exploravam mão de obra de bolivianos, principalmente, ignorando a legislação trabalhista vigente…Pois é, o barato saiu caro pra essas marcas, mas infelizmente consciência não é o forte quando falamos de consumo.
    Recentemente, li que o Tesco da China permite a venda de tartarugas vivas para consumo. Elas ficam presas em sacos de pano, uma coisa horrível mesmo.
    O boicote e as mobilizações online são grandes ferramentas de cobrança de uma verdadeira responsabilidade socioambiental corporativa.
    Será que a gente consegue divulgar essa causa aí na Irlanda? hahaha
    Estou chegando dia 18.

    Um abraço,

    João Montaleone.

    • Carla Marina disse:

      Oi João, obrigada pelo seu comentário!
      É, hoje em dia Responsabilidade Social está na moda e o consumidor é facilmente enganado. Vamos conversar quando você chegar, de repente bolamos algo para divulgar a causa!rs
      Abraços!

  4. Eliene disse:

    Nossa… muito obrigada pela informação. Chego em Dublin essa semana e isso faz muita diferença pra mim!
    Bem melhor comprar algo mais caro e que dure mais do que ter que gastar o dobro depois. Além de que algumas coisas , custam mais caro do que a gente imagina neh. Um casaco na Penney`s pode custar barato pro seu bolso, mas e pra vida de quem fabricou aquele casaco?

  5. Álvaro disse:

    Oi Carla,

    Você continua na Escola de Idiomas, me mande um email com orçamento:

    buryyan@yahoo.com.br

    Abraço

    Álvaro

    • Carla Marina disse:

      Oi Álvaro, não estou mais lá, mas tenho um amigo que continua lá, se quiser entrar em contato. O nome dele é Thaynan, ele é brasileiro, o contato dele é: thaynan@ibsd.ie, vou enviar um e-mail a ele te copiando para um orçamento, oK?

      Abraços!

  6. Álvaro disse:

    Parabéns ao casal, pelo Blog.

  7. Álvaro disse:

    Oi Camila,

    Grato pela atenção

    Álvaro

  8. Álvaro disse:

    Camila,

    Vocês continuam fazendo Vídeos no YouTube?

    Grato,

    Álvaro

  9. Patricia Cunha disse:

    Olá casal!
    Adorei o blog de vocês! Esclarecem as dúvidas de forma clara e objetiva.
    Estou indo para Dublin em Abril, e claro, já ouvi falar na Penneys.
    Depois de ler sua notícia (também sou gestora ambiental e bióloga), gostaria de perguntar.
    Fora dessa loja, qual outra você recomendaria e que estaria bem qualificada no quesito custo x benefício?

    Obrigada!

    • Carla Marina disse:

      Oi Patricia, tudo bom? A Dunnes é um pouco mais cara que a Penneys, mas também a acessível. Gosto também da H&M, que apesar de também ser um pouco mais cara, é de melhor qualidade e dá pra encontrar umas boas promoções de vez em quando. Mas também amo os brechós, os quais recomendo muito! Abs!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *