Primeiras impressões sobre Dublin

Após um mês vivendo em Dublin, gostaria de compartilhar algumas impressões sobre esta terrinha acolhedora.

A começar pelas pessoas, a maioria com quem tivemos contato sempre foi muito atenciosa e simpática, em todas as lojas, mercados, restaurantes e mesmo nos estabelecimentos onde achávamos que elas poderiam ser mais “carrancudas”, elas podiam até ser um pouco sérias, mas tinham lá o seu “humor inglês”, que foi o caso de um trabalhador do Banco da Irlanda e do Departamento de Proteção Social.

A palavra que mais se ouve por aqui é “sorry”, que é usada  tanto para pedir licença como para pedir desculpa, e é falada por todos, desde crianças até idosos.

A cidade é muito bonita, onde você olha há uma construção ou monumento a ser admirado e é muito estranho como pode se tornar tão comum passar por igrejas e catedrais que mais se parecem lindos castelos, num simples caminhar até a escola.

Quanto à temperatura, já chegamos a pegar dois graus com sensação térmica de menos dois e ficamos bem, e já pegamos 10 graus e morremos de frio, isso porque depende do quão agasalhado você está e de como está o vento no dia, porque é o vento gelado batendo na cara que mata!

Não é difícil se localizar, até os mais perdidos, como eu, conseguem ao menos ir para os lugares básicos, já que a cidade é pequena. E, por ser pequena, você encontra as pessoas facilmente (ou é encontrado). Quando se tem uma rotina, acaba vendo os mesmos rostos nas ruas e no ônibus. Outra vantagem do tamanho da cidade é que ela se torna mais acessível, o que melhora pelo fato de ela ser plana.

O transporte público funciona bem, os ônibus são pontuais e você consegue ver em quanto tempo o seu ônibus vai passar, por meio de placas que ficam em muitos dos pontos, ou mesmo baixando um aplicativo no seu celular. O preço do transporte, seja o ônibus, luas ou dart é relativamente caro, mas vale a pena fazer o cartão mensal se você usa todos os dias mais de uma vez por dia.

Ainda não usei o Dublinbikes, mas muita gente usa, apesar de os brasileiros preferirem comprar sua própria bike. Confesso que tenho medo de andar de bike por aqui, pois apesar de haver a pista especial para ciclistas e, acima de tudo, haver a cultura da convivência entre ciclistas e motoristas, é preciso ser muito atento e ter muita manha. pois você anda muito próximo aos carros e precisa entender bem como se posicionar no trânsito.

Algo que nos surpreendeu é que o inglês das pessoas não é tão assustador quanto pensávamos, claro que você ouve várias nacionalidades falando inglês (italianos, indianos, chineses etc), mas o irlandês mesmo até que dá para entender bem (salvas algumas exceções de velhos banguelas e jovens com piercing na língua).

Outra coisa que chama a atenção é que muitos dos jovens gostam de “aparecer”, de causar uma espécie de agressividade na forma como se vestem, falam e agem nas ruas. E é interessante como isso é comum aos olhos de quem vive aqui, os idosos, por exemplo, não demonstram nenhum tipo de reação negativa a estes jovens. Para quem gosta de crianças, os bebês são as coisas mais lindas, todos eles!

Algo muito positivo é que respeita-se bastante as diferenças entre as pessoas, não só quanto à sua origem, mas quanto à forma como você se veste e como você é fisicamente. Ninguém te olha torto ou com preconceito pelo que você é e as pessoas também não lutam para tentar ser o que elas não são, quero dizer, elas se valorizam e exploram suas características, se tornando únicas.

Há pessoas de diferentes nacionalidades (muitos indianos, italianos, espanhóis, franceses e chineses, além de brasileiros), mas percebi que, mesmo as diferenças sendo respeitadas, alguns grupos não gostam de se misturar, principalmente os indianos.

O governo parece ter diversos tipo de auxílio à população e não sei se é reflexo disso, mas os idosos me parecem ser muito felizes, estão sempre de bom humor! Mas um reflexo direto do auxílio governamental é que muitos jovens têm filho cedo (e cuidam deles “daquele” jeito, olhando para o celular e empurrando o carrinho, comendo salgadinho e dando para o bebê, etc.).

É tranquilo andar pelas ruas sozinha,eu, como mulher, procuro evitar lugares muito desertos, mas quanto aos famosos nackers (adolescentes rebeldes que gostam de encher o saco de quem eles não vão com a cara), não tivemos problemas com nenhum.

Você pode se alimentar pagando pouco, desde que compre comida no mercado (e pesquise os preços em diferentes mercados), evitando comer fora. Também dá para comprar roupas baratas de boa qualidade (e de ruim também), tem que pesquisar!

Quanto à limpeza, a cidade é  limpa no geral, mas vê-se uma quantidade razoável de sujeira na rua jogada pelas pessoas (é, achei que não veria isso por aqui, mas parece que tem gente mal educada em todo lugar!). Também vê-se bastante cocô de cachorro nas calçadas, apesar das sinalizações da prefeitura tentando sensibilizar os donos dos cães.

Todos os dias as ruas são limpas (pelo menos nos locais mais movimentados, como no centro) e a coleta seletiva já é bem estabelecida. Não é novidade para ninguém que você deve colocar os resíduos recicláveis e o comum em sacos diferentes, no dia pré-estabelecido pela empresa que você escolher.

Os parques, canteiros e áreas verdes em geral são bem cuidados e não se vê pixação nos muros (exceto em alguns becos ou fábricas abandonadas).

Os canais que existem na cidade são habitados por patos e outras aves, mas apesar de a água ser transparente, vê-se muito lixo jogado pelas pessoas (latas, garrafas, plásticos). Confesso que isso foi um pouco chocante para mim, pois imaginava que seria tudo limpinho.

Tenho a impressão de que, as pessoas no geral são acomodadas com a realidade em que vivem, não demonstrando interesse em melhorar, e mais do que isso, parecem não valorizar muito o que têm, já que vêem o lixo nas ruas e parecem não dar muita bola, ou contribuem para sujar as ruas. E não dá para dar a desculpa que costumamos dar em São Paulo, de que não há lixeiras nas ruas, porque aqui há várias.

E, a fama de que irlandês gosta de beber, é realmente um fato, para muitos deles, qualquer hora é hora. Às vezes a gente tromba com uns bêbados andando muito torto nas ruas, ou brigando com outro bêbado. E há pubs em todas as esquinas, para quem gosta de beber, dá para variar bem o ambiente e pesquisando, pode-se encontrar uma diferença grande nos preços de um pub para outro.

Bom, resumindo, as pessoas são bem receptivas e prestativas de um modo geral, a cidade é bonita e bem cuidada, apesar de nem todos respeitarem o ambiente em que vivem. É um lugar agradável de se viver, sem medo de ser julgado, e o governo é muito prestativo para com a população. Mas estas são primeiras impressões, esperamos mais pra frente compartilhar a nossa opinião, e não apenas impressões de principiantes!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
30
mar 2012
POSTED BY
DISCUSSION 11 Comments
TAGS

11 Responses to : Primeiras impressões sobre Dublin

  1. Luciana says:

    Kaka, adorei seu resumo, sem conhecer a Irlanda acabei me sentindo um pouco por aí passeando pelas ruas e conhecendo pessoas junto com vc! Continue postando suas impressões vc escreve bem pra caramba! bjkas e saudades! Lu

    • Carla Marina says:

      Lú!! Que bom que gostou do post, fico contente por ter conseguido me expressar! Mas ainda assim, vá se preparando para você tirar as suas impressões ao vivo, estaremos esperando você e o André!!! Súper bjos e saudades!

  2. Carol says:

    Que legal Cá, de forma geral parece bem legal, já fiquei com vontade de conhecer! Quanto ao lixo jogado na rua, aqui em NYC também tem bastante, inclusive no metrô, isso me deixou decepcionada também, porque eu achava que ia ser limpinho como na Florida, agora com o seu relato cada vez acredito mais que tem gente mal educada no mundo todo mesmo! beijos e saudades

    • Carla Marina says:

      É Cá, imaginei que NY não seria muito limpinha pelas características da cidade, mas Dublin é tão pequena e a população é tão menor, sei lá, também por ser na Europa, pensei que seria diferente, mas não adianta, o ser humano é que estraga os lugares mesmo…Legal estar acompanhando o blog, saudades de ver você e a pequena no skype! Bjs

  3. Pedro Gutierrez says:

    Eae cara blz? intao minha duvida é se vcs foram como intercambistas e vão imigrar para a Irlanda, e se tem como fazer isso em outros paises como Canadá ?!?! vlw e mto bom seu blog e seus vlogs .. continuem, boa sorte … =)))

    • Carla Marina says:

      Olá Pedro, tudo bom? Na verdade eu vim com o passaporte italiano, então não precisei de visto e o Brú veio com o visto de estudante (depois descobrimos que não precisava por ser marido de cidadã européia). Agora ele está tentando tirar um visto diferente, que é o de familiar de europeu, o que lhe dará os mesmos direitos que eu tenho, como trabalhar full time, por exemplo. Temos um casal de amigos que foi para o Canadá recentemente com o visto de estudante, para aplicar de lá ao programa de imigração, porque segundo eles, tentar isso do Brasil está demorando uns 4 anos e fazer isso já estando no Canadá é bem mais rápido. Portanto, acho que é possível sim!

  4. wescley says:

    Olá acho muito legal vcs compartilharem a experiência do intercâmbio, pretendo ir para Dublin no próximo ano e gostaria de saber como estão as aulas e oq estão achando da escola, pois existe a chance de eu escolher a SEDA.
    Abçs.

    • Carla Marina says:

      Oi Wescley, tudo bom?
      A SEDA é uma escola muito básica, possui bons professores mas o método de ensino deixa muito a desejar, pois não é dinâmico e não força o aluno a pegar firme no estudo. Me incomoda a desorganização e o fato de nunca terem questionado os alunos sobre o que eles acham da escola, dos professores etc, visando melhorar. Mas escolhemos ela por ser a mais barata, já sabendo que poderia não ser muito boa, já que a nossa intenção era ficar aqui por bastante tempo e aprender o inglês na marra.

  5. wescley says:

    Obrigado pela resposta Carla, esta um pouco difícil eu me decidir por qual escola estudarei e o preço da SEDA é bem convidativo, não queria pagar um preço alto para estudar e quando chegar chegar em Dublin já terei terminado meu curso por aqui e já estarei com o Inglês bem razoável. Para vc que já esta aí oq poderia me sugerir?
    Abs.

    • Carla Marina says:

      Tenho alguns amigos que estudam na English in Dublin e eles dizem ser uma boa escola. Não me recordo o valor, mas acredito que seja o dobro da SEDA. Pelo que eles falam tem mais variedade de nacionalidades (apesar de ainda assim ter muito brasileiro), os professores são bons e a escola é organizada. Mas recomendo que, se você ainda não fez isso, você leia fóruns de discussão para ouvir a opinião da galera que está aqui, porque a quantidade de escolas é realmente grande. Um fórum bacana é o do e-Dublin, você deve conhecer. Abs!

    • Carla Marina says:

      Tenho alguns amigos que estudam na English in Dublin e eles dizem ser uma boa escola. Não me recordo o valor, mas acredito que seja o dobro da SEDA. Pelo que eles falam tem mais variedade de nacionalidades (apesar de ainda assim ter muito brasileiro), os professores são bons e a escola é organizada. Mas recomendo que, se você ainda não fez isso, você leia fóruns de discussão para ouvir a opinião da galera que está aqui, porque a quantidade de escolas é realmente grande. Um fórum bacana é o do e-Dublin, você deve conhecer. Abs!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *